BEM-VINDOS

A língua é uma das minhas maiores paixões - seja no campo da linguística seja relativa ao paladar. Este blog está centrado na primeira opção, mas de tudo um pouco pode ser encontrado aqui: leituras deleite, dicas, tira-dúvidas, análises linguísticas e tópicos de gramática normativa, curiosidades, humor e muito mais. Está esperando o quê?! Professor Diogo Xavier

Curta e acompanhe nossa página no Facebook

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

A redação do Enem 2013-5 - Posso dar minha opinião?

OPINIÃO x MARCAS DE PESSOALIDADE

Muitos alunos me perguntam se no texto dissertativo-argumentativo o aluno pode dar sua opinião. E caso possa, como fazê-lo sem usar o "eu acho" ou "na minha opinião", tão condenado por todos os professores.
Pois bem, como possivelmente vocês já sabem e como eu já comentei em postagens anteriores, o texto dissertativo-argumentativo consiste em um gênero em que se deve expor informações, ideias, fatos sobre um determinado tema, posicionar-se em relação a ele, ao mesmo tempo em que tenta convencer o leitor a concordar com o ponto de vista que está sendo exposto. Assim é imprescindível que a opinião do autor do texto esteja explicitada, clara, fundamentada.
O que não se deve fazer é incluir marcas de pessoalidade na redação do ENEM, pois esta deve ser regida pelo distanciamento entre os interlocutores, no caso, aluno-corretor - eles não se conhecem, não têm nenhum grau de intimidade; o que importa é a ideia a ser transmitida / recebida. Esse distanciamento, ou essa impessoalidade, são tradicionalmente alcançados pelo uso da 3ª pessoa, ou 1ª do plural, porém isso não é o suficiente. Há outros elementos, além da 1ª pessoa do singular (eu), que denunciam pessoalidade:
* Dirigir-se ao leitor - "você", "tu", vocativo, verbos no imperativo (2ª ou 3ª pessoa).
* Expressões que revelam juízos de valor, ou seja, que se baseiam em um ponto de vista pessoal, não em fatores objetivos, em especial adjetivos.
* Achismo - acredito, penso, na minha opinião, para mim, etc.

Como, então, dar sua opinião sem usar essas marcas de pessoalidade?
Em princípio, tudo que você afirma em seu texto consiste na sua opinião. Caso queira expor uma opinião contrária à sua, ou seja, uma com a qual você não concorda, você pode usar os verbos de citação:
"Quem se posiciona a favor afirma que...", "A Igreja Católica defende que...", "Para alguns cidadãos mais radicais, só através de....".

Bem, por hoje, é só.

Abraços

Prof. Diogo Xavier

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

A redação do ENEM 2013-4 - Quais são as competências?

A redação do ENEM: Quais são as competências?

 Os corretores atribuem uma nota (0 a 200) para cada uma das competências a seguir, totalizando uma pontuação de até 1000 pontos:

ü  Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa.
ü  Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.
ü  Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
ü  Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

ü  Competência 5: Elaborar a proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Até a próxima!

Prof. Diogo Xavier
\o/

tags.: competências - enem - redação - dissertação

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Redação do ENEM 2013 - 3 - quem corrige? como corrige?

QUEM VAI AVALIAR A REDAÇÃO? COMO AVALIA?


Muita gente ainda tem dúvidas sobre como funciona o processo de correção das redações do ENEM. Para começar:

ð No mínimo dois corretores fazem a avaliação da redação.
ð Os dois são de regiões diferentes um do outro e do aluno.
ð Um não conhece a nota atribuída pelo outro.

ð A redação do candidato é digitalizada e enviada para os dois corretores, que leem o texto e marcam o nível obtido em cada competência.  O sistema dá a soma das notas e a correção é confirmada.

Em caso de discrepância:

ð Constitui uma diferença de mais de 100 pontos na nota da redação ou mais de 80 pontos em pelo menos uma das competências.
ð Neste caso, a redação é enviada a um terceiro corretor (que não sabe que é a terceira correção do texto). Tira-se a média das duas notas que mais se aproximam.
ð Se a discrepância ainda existir, uma banca presencial, com três corretores mais experientes, faz uma nova correção, desconsiderando as anteriores, e define a nota da redação.

A sua redação será anulada nos seguintes casos:

Ø  Fuga TOTAL do tema.
Ø  Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa.
Ø  Texto com até 7 linhas. Linhas copiadas dos textos motivadores são excluídas da contagem.
Ø  Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação ou parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto.
Ø  Desrespeito aos direitos humanos.
Ø  Folha em branco, mesmo que o texto esteja na folha de rascunho.

Outros aspectos importantes:
Ø  Se a letra estiver ilegível, o corretor desconsiderará as partes que não conseguir ler, podendo inclusive a redação ser anulada.
Ø  O título é opcional na prova do ENEM e será considerado como uma linha escrita, devendo estar na primeira linha do espaço reservado para o texto.
Ø  As duas normas ortográficas estão em vigor até 31 de dezembro de 2015, quando a nova substituirá a antiga. Portanto as duas serão consideradas na correção, porém é recomendável não misturá-las.


Por hoje, é só.
Prof. Diogo Xavier
^^

tags.: dissertação - redação - enem - fuga do tema - correção

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A redação do Enem 2013-2 - Estrutura básica

Estrutura do Texto Dissertativo-argumentativo


Nesta segunda postagem sobre a dissertação, vamos falar um pouco sobre a estrutura do texto dissertativo-argumentativo.

A composição básica e lógica do texto dissertativo-argumentativo é:

Introdução: Apresenta a ideia que vai ser discutida, a tese a ser defendida. Cabe à introdução situar o leitor a respeito da postura ideológica de quem o redige acerca de determinado assunto, pois o tema fornecido sempre é mais ou menos amplo e dá margem a várias abordagens. Portanto a introdução vai delimitar o aspecto do tema a ser tratado ao longo do texto. É importante que todas as ideias apresentadas ao longo do texto estejam relacionadas com o que foi apresentado na introdução. Existem várias formas de fazer a introdução, que serão explicadas mais adiante.

Desenvolvimento: Desenvolve a tese, apresentando cada um dos argumentos ordenadamente, analisando detidamente as ideias e exemplificando de maneira rica e suficiente o pensamento. Nele, organizamos o pensamento em favor da tese. Cada parágrafo (e o texto) pode ser organizado de diferentes maneiras: estabelecimento das relações de causa e efeito - motivos, razões, fundamentos, alicerces, os porquês/ consequências, efeitos, repercussões, reflexos; estabelecimento de comparações e contrastes - diferenças e semelhanças entre elementos (de um lado, de outro lado, em contraste, ao contrário); enumerações e exemplificações: indicação de fatores, funções ou elementos que esclarecem ou reforçam uma afirmação.

Conclusão: Retoma ou reafirma todas as ideias apresentadas e discutidas no desenvolvimento, tomando uma posição acerca do problema, da tese. É também um momento de apresentar a proposta de intervenção social, ou de retomá-la caso já tenha sido feita.

ð Ainda com relação à estrutura do texto dissertativo, convém acrescentar os aspectos visuais:

Ø  Ficar atento à distribuição de linhas por parágrafo – introdução e conclusão devem ser menores que o desenvolvimento.
Ø  Fazer parágrafos distando mais ou menos três centímetros da margem e mantê-los alinhados.
Ø  Não pular linha entre os parágrafos.
Ø  Não ultrapassar as margens (direita e esquerda) e também não deixar de atingi-las.
Ø  Evitar rasuras e borrões. Caso o aluno erre, ele deverá anular o erro com um traço no meio da palavra entre parênteses, apenas.
Ø  Apresentar letra legível, tanto de forma quanto cursiva.
Ø  Distinguir bem as maiúsculas das minúsculas.
Ø  Jamais exceder o número de linhas pautadas ou pedidas como limites máximos e mínimos.

Ø  Não desenhar, assinar ou rabiscar na folha de redação.


Por hoje é só!

Bons estudos.

Prof. Diogo Xavier
:)

tags: redação - enem - texto dissertativo-argumentativo - estrutura - introdução - desenvolvimento - conclusão

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A redação do ENEM 2013-1 - isso se estuda?

A REDAÇÃO DO ENEM

A prova do Exame Nacional do Ensino Médio está próxima. Com isso, o aluno sempre se depara com uma pedra no meio do caminho, com o perdão do clichê: a redação. Sempre costumo ouvir: "redação não se estuda", "é só praticar", "tem que chegar na hora e o que sair, tá beleza". Bem, pelo contrário, a redação do Enem precisa de estudo e dedicação o ano todo; de preferência, desde o início do Ensino Médio. Como?

Em primeiro lugar, esse é o texto solicitado na prova do Enem:
Texto dissertativo-argumentativo, sobre um tema de ordem social, científica, cultural ou política.

Nele, deve-se defender a TESE, uma opinião a respeito do tema proposto, apoiada em ARGUMENTOS consistentes estruturados de forma coerente e coesa, de modo a formar uma unidade textual. Por fim, elaborar uma PROPOSTA DE INVERVENÇÃO SOCIAL PARA O PROBLEMA APRESENTADO NO DESENVOLVIMENTO que respeite os direitos humanos.

Pois bem, o gênero solicitado, além de possuir muitas especificidades que devem ser seguidas (e, portanto, estudadas), exige que o aluno tenha um bom domínio da norma padrão da língua, dos elementos de coesão, de informações atuais e relevantes nas diversas áreas do conhecimento. Enfim. São 5 competências avaliadas.

Ao longo das próximas duas semanas, publicarei algumas dicas e orientações para quem vai se aventurar na prova dia 26 e 27.

Para começar, vamos tratar aspectos gerais do texto dissertativo-argumentativo.


O texto dissertativo-argumentativo é aquele que expõe ideias e, ao mesmo tempo, tenta convencer o interlocutor da validade delas. Apresenta uma tese (opinião central) sustentada por argumentos. É um gênero textual específico para vestibulares e concursos em geral; deve ser escrito na norma culta da língua, sem marcas de pessoalidade e seguindo uma estrutura que se convencionou como padrão. Existem muitos outros gêneros textuais que dissertam e argumentam ao mesmo tempo, mas a designação “Dissertativo-Argumentativo” se refere a esse gênero em específico.

O que é tese mesmo?
Tese: opinião central do autor a respeito do tema, que deve ser desenvolvida e defendida ao longo do texto.

E argumento?
Argumento: É a justificativa utilizada para convencer o leitor a concordar com a tese defendida. Cada argumento deve responder à pergunta “por quê?” em relação à tese defendida.


Por hoje é só!
Bons estudos.

Prof. Diogo Xavier 
8)

Visite: facebook.com/minhalinguaeeu


tags: enem - redação - dissertação - texto dissertativo-argumentativo - tese - argumentos

FAÇA SUA BUSCA POR ASSUNTO AQUI