BEM-VINDOS

A língua é uma das minhas maiores paixões - seja no campo da linguística seja relativa ao paladar. Este blog está centrado na primeira opção, mas de tudo um pouco pode ser encontrado aqui: leituras deleite, dicas, tira-dúvidas, análises linguísticas e tópicos de gramática normativa, curiosidades, humor e muito mais. Está esperando o quê?! Professor Diogo Xavier

Curta e acompanhe nossa página no Facebook

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Quanto tempo demora um mês - Biquini Cavadão


Quanto Tempo Demora Um Mês
Composição: Álvaro, Bruno, Miguel, Coelho, Gian fabra

Acordei com o seu gosto
E a lembrança do seu rosto
Porque você se fez tão linda?

Mas agora você vai embora
Quanto tempo será que demora
Um mês pra passar?

A vida inteira de um inseto
Um embrião pra virar feto
A folha do calendário
O trabalho pra ganhar o salário.
Mas daqui a um mês
Quando você voltar
A lua vai tá cheia
E no mesmo lugar...

Se eu pudesse escolher
Outra forma de ser
Eu seria você.

E a saudade em mim agora
Quanto tempo será que demora
Um mês pra passar?

Ser campeão da copa do mundo
Um dia em Saturno
Pra criança que não sabe contar vai levar um tempão.

Daqui a um mês
Quando você voltar
A lua vai tá cheia
E no mesmo lugar.

Mas daqui a um mês
Quando você voltar
A lua vai tá cheia
E no mesmo lugar...

Quando você voltar
Daqui a um mês
Mas daqui a um mês
Quando você voltar
A lua vai tá cheia
E no mesmo lugar...



sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Múmias - Biquini Cavadão e Renato Russo - oração adverbial modal

Antes de apresentar a música, gostaria de fazer uma pequena observação. O período "Esperamos pela vida vivendo só de guerra", composto por subordinação, possui uma oração adverbial (em destaque)que é ignorada pela maioria das gramáticas. Uma vez que essa oração indica a forma como "esperamos pela vida", ela acrescenta uma circunstância de modo. São raras as gramáticas que apresentam essa classificação: Oração Subordinada Adverbial MODAL. E ao que me parece é mais comum aparecer essa oração na forma reduzida - no momento não tenho em mente nenhum exemplo com ela desenvolvida.

Enfim, a música. 

Múmias

Biquini Cavadão

Composição: Alvaro - Bruno - Miguel -sheik - Coelho

Bem aventurados sejam
Aqueles que amam
Essa desordem
Nós viemos a reboque
Este mundo
É um grande choque
Mas não somos desse mundo
De cidades em torrente
De pessoas em corrente...

Errar não é humano
Depende de quem erra
Esperamos pela vida
Vivendo só de guerra...(4x)

Viemos preparados
Prá almoçar soldados
Chegamos atrasados
Sumiram com a cidade
Antes de nós
Mesmo assim
Basta esquecê-la
No outro dia
Transformando em lataria
Tudo que estiver
Ao nosso alcance...

Errar não é humano
Depende de quem erra
Esperamos pela vida
Vivendo só de guerra...(4x)

Chega de marra
Chega de farra
Chega de guerra
Quem nunca falha
Fala, erra
Sorte, joga
A primeira pedra
Aqui na terra
Bicho que pega
Fica violento
Meu raciocínio
Transformado
Em racionamento
Só que talento
É minha forma
De reprodução
Corta câmera, corta luz
Que eu continuo em ação
Aproveitando
Nossa liberdade de expressão
Renato Russo, eu, Suave
E o Biquini Cavadão...

Bem aventurados sejam
Os senhores do progresso
Oooooohhhhhhhhhhhhhhh!!
Esses senhores do regresso...

Errar não é humano
Depende de quem erra
Esperamos pela vida
Vivendo só de guerra...(4x)

Vivendo só de guerra
Vivendo só de guerra
Viemos espalhar discórdia
Esperamos pela vida
Vivendo só de guerra
Conquistar muitas vitórias
Esperamos pela vida
Vivendo só de guerra
Conquistar muitas derrotas
Esperamos pela vida
Vivendo só de guerra
Esperamos pela vida
Vivendo só de guerra...




tags: mumias, biquini cavadão, renato russo, musica, rock, oração adverbial modal

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

ALTERNATIVA: 2011; O ano da educação.

2011 é o ano da educação segundo foi anunciado pelo Governo do Estado. Mas, parece que é o ano onde a educação vai sofrer mais atropelos. Eu particularmente não entendo o que se passa na cabeça de pseudos pensadores, que nunca entraram numa sala de aula, ficam em seus gabinetes, tentando criar ideias fantásticas que na prática não funcionam. Uma dessas ideias é colocar o turno da tarde para ter início às 13.00h,fixando um prazo apenas de uma hora para o professor almoçar e iniciar um segundo turno. Nem levaram em consideração o deslocamento, pois diversos professores ensinam em mais de uma escola. O Governo do Estado consegue atormentar a vida dos professores, mesmo quando estes estão de férias. E qual o motivo? Com o fechamento de algumas escolas e a redução de salas de aula em outras, vários professores foram devolvidos a Gerência Regional de Educação(GRE) e passaram todo o mês de janeiro sem saber onde seriam localizados. Com o início das aulas no dia 02 de fevereiro,ainda é grande o número de professores que não foram lotados em nenhuma escola. Não consigo entender a necessidade de priorizar a escola integral, obrigando os alunos que vão fazer a primeira série do ensino médio, a serem matriculados nessa modalidade de escola. Por isso.é grande o esvaziamento das escolas estaduais ditas regulares, com turnos funcionando de forma precária, devido a falta de aluno. Num país onde o número de analfabetos ainda é grande, fechar escolas, reduzir turmas e deixar turnos com funcionamento comprometido, é uma grande maneira de mostrar o quão valorizada é a educação em nosso estado.

Retirado de: http://alternativasintepe.blogspot.com/

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Tipos de predicado - Orações adverbiais - Adjunto adverbial ... Sutilmente - Nando Reis e Samuel Rosa

Quem quiser simplesmente saber o conceito de predicado e suas classificações com exemplo, sugiro o seguinte site ou muitos outros disponíveis na grande rede. Da mesma forma, é bem fácil achar explicações na internet a respeito das orações adverbiais e dos adjuntos adverbiais. Inclusive, no arquivo do Minha Língua e Eu, há uma postagem diferenciando adjunto adnominal e adverbial.
O que proponho nesta postagem é a contextualização de alguns itens gramaticiais, ou seja, o desafio de identificar as descrições dos manuais gramaticais onde a gramática realmente acontece: no texto - seja ele oral ou escrito - E por texto entendemos: uma manifestação linguística intencional que possui um interlocutor e que acontece nas práticas sociais. É um desafio porque a língua é viva e nem sempre as descrições (ou prescrições) dos manuais de gramática se "encaixam" nas sentenças produzidas no uso cotidiano da língua. A estrutura sintática da música é bem repetitiva, por isso a análise de um verso se aplica a quase todos os outros.
Sem mais delongas, vamos à música e às considerações.
OBS.: caso queiram a letra sem a poluição visual que fiz, é só entrar em

Sutilmente - Composição: Nando Reis e Samuel Rosa

 E quando eu estiver triste  Predicado  nominal: o verbo "estiver", neste e em muitos outros versos, faz a ligação do sujeito com o seu estado (predicativo).
Simplesmente me abrace    Predicado verbal: "abrace" indica uma ação e é o núcleo do predicado. O sujeito está oculto: VOCÊ.
Quando eu estiver louco   
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo      Oração subordinada adverbial temporal [verbo: estiver] - acrescenta circunstância de tempo à oração principal (próximo verso)
Suavemente se encaixe      Oração principal [verbo: encaixe]

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace    SIMPLESMENTE - adjunto adverbial de modo. A maior parte [não todas] das palavras terminadas em -MENTE, exercem a função de adjunto adverbial de modo.
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não  Não me propus a falar das orações substantivas, mas não custa nada: "que não me mate" é uma oração [verbo: mate] que exerce a função de objeto direto do verbo da oração principal [SUPLICO]. Como a classe gramatical que costuma ser empregada como objeto é o substantivo [ou palavra correspondente], e como a função exercida é de objeto direto, classificamos essa oração como subordinada substantiva objetiva direta.
Dentro de ti, dentro de ti    DENTRO DE TI: adjunto adverbial de lugar e acrescenta essa circunstância ao verbo MATE.

Mesmo que o mundo acabe, enfim   Oração subordinada adverbial concessiva, acrescenta circunstância ao verbo MATE na estrofe anterior. A concessão se manifesta como um obstáculo, mas não impede a realização do que é proposto pela oração principal [não me mate].
Dentro de tudo que cabe em ti    É semelhante a "dentro de ti", da estrofe anterior, porém possui uma 
oração adjetiva caracterizando a palavra TUDO.

  Eu gostaria de abrir uns parênteses a respeito das orações adverbiais. Na maioria das gramáticas, essas orações possuem 9 classificações: causal, consecutiva, condicional, consecutiva, conformativa, comparativa, final, proporcional e temporal.
Ao analisar a frase "Moro onde o vento faz a curva", contatamos que há uma oração adverbial [onde o vento faz a curva].
Mas qual é a classificação dessa oração adverbial? Na maioria das gramáticas, não há nenhuma referência a um oração adverbial que acrescente circunstância de lugar. Constatei isso dando aula sobre essas orações hoje [8ª série] e iria lançar esse questionamento aos alunos para discutirmos juntos, porém a aula acabou antes. Busquei na internet e vi que alguns [poucos] gramáticos acrescentam a classificação de ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL LOCATIVA, assim como existe, segundo eles, a oração adverbial MODAL (indica modo). Ex.: Ela se divertiu ZOANDO O IRMÃO ou João fala SORRINDO.

Pois bem, as orações adverbiais, portanto, são 11, com a inclusão das modais e locativas.

Como eu disse, aplicar as gramáticas normativas às manifestações reais é, muitas vezes, um desafio.
Abaixo, o videoclipe da música cantada por Skank:



 Abraço a todos
Prof. Diogo Xavier

TAGS: orações subordinadas adverbiais e substantivas, adjunto adverbial, tipos de predicado, gramática, língua portuguesa, sintaxe, Nando Reis, Samuel Rosa, Skank

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

história e cultura afro-brasileira

Ensino de história e cultura afro-brasileira e africana será discutido em faculdade

Para discutir sobre o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana, a Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire) sedia palestras sobre o assunto na próxima terça-feira, a partir das 19h, no auditório da pós-graduação.
 
Intitulada de “A importância do ensino da história e cultura afro-brasileira e africana”, o evento terá a participação da professora e doutora do Departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Isabel Guillen.

Já o mestre em Literatura e Interculturalidade da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Lepé Correia, irá abordar sobre a religiosidade africana e afro-brasileira: resgate da identidade cultural.


Com informações da assessoria

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Cine cabeça


A UNACOMO em parceria com o Cine cabeça convida todos(as) educadores sociais e as lideranças comunitárias a participarem da exibição de dois filmes. Para participar é preciso ter 18 anos, a entrada é gratuita. Na entrada basta dizer que foi convidado pela UNACOMO. Não perca esta oportunidade. 

O Contador de Histórias

Filme de Luiz Villaça baseado na vida do mineiro Roberto Carlos Ramos, é a história de como o afeto pode transformar a realidade. Caçula entre dez irmãos, Roberto desde cedo demonstra um talento especial para contar histórias, transformando, com a narrativa, suas próprias experiências de frustração em fábulas cativantes.

Aos 6 anos, o menino cheio de imaginação é deixado pela mãe em uma entidade assistencial recém criada pelo governo. Ela acredita estar, assim, garantindo um futuro melhor para seu filho. A realidade na instituição é diferente do que se promovia pela propaganda na TV; e Roberto, aos poucos, perde a esperança. Aos treze anos, após incontáveis fugas, ele é classificado como ‘irrecuperável’, nas palavras da diretora da entidade.

Contudo, para a pedagoga francesa Margherit Duvas (Maria de Medeiros), que vem ao Brasil para o desenvolvimento de uma pesquisa, Roberto representa um desafio. Determinada a fazer do menino o objeto de seu estudo, tenta se aproximar dele. O garoto em princípio reluta, mas, depois de uma experiência traumática, procura abrigo na casa de Margherit.

O que surge entre os dois é uma relação de amizade e ternura, que porá em xeque a descrença de Roberto em seu futuro e desafiará Margherit a manter suas convicções.

site oficial: http://wwws.br.warnerbros.com/ocontadordehistorias/site
trailer: http://www.youtube.com/watch?v=1Aqn_jO_HAM

Recife Frio

Estranha mudança climática faz Recife, na região Nordeste do Brasil, passar a ser uma cidade fria.

O documentário de uma TV estrangeira examina os efeitos da mudança em toda uma cultura que sempre viveu em clima quente.

Duração: 20'
Ficha Técnica

Produção: Emilie Lesclaux
Direção: Kleber Mendonça Filho
Roteiro: Kleber Mendonça Filho
Fotografia: Kleber Mendonça Filho
Direção de Arte: Juliano Dornelles
Som: Kleber Mendonça Filho
Montagem: Kleber Mendonça Filho

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Novos botões no blog

A partir de agora, você pode curtir ou compartilhar o conteúdo deste blog nas nas diversas redes sociais, é só apertar em um dos botões localizados no início ou fim das postagens.

FAÇA SUA BUSCA POR ASSUNTO AQUI